Archive for August, 2008

Luciano Bilu na Guitar Player!

Posted in musica with tags , , , , on 31/08/2008 by transitoriamente

O Bilu é foda! Pra quem conhece o guitarrista catarinense Luciano Bilu, sabe que esta é uma das primeiras frases que se diz quando o assunto diz respeito ao músico. Nós da mídia temos quase que uma obrigação de reconhecer nossos grandes talentos.

 

Porém, este reconhecimento vai mais além, ultrapassa fronteiras. Você pode conferir, na edição mais recente da revista Guitar Player (Set/2008), uma matéria com o músico. Clicando aqui você tem acesso a uma parte da matéria.

 

Os talentos catarinenses estão mais uma vez despontando Brasil e mundo afora.

 

Um abraço, Antonio Rossa

U23D estréia nos cinemas da capital catarinense.

Posted in musica with tags , , , on 29/08/2008 by transitoriamente

 

Pra quem se amarra em música, os irlandeses do U2 sempre merecem uma atenção especial, mesmo que você não goste muito do som de Bono e sua trupe.

 

Está certo, Bono quer se tornar um herói “a lá Lennon” a todo custo, o que infelizmente nem sempre é engolido com leveza pela crítica e pelo público.

 

Porém, a questão agora é diferente, trata-se do lançamento de U23D – o primeiro filme-concerto captado todo em três dimensões – nos cinemas da capital catarinense.

 

Fique ligado nos horários de exibição clicando aqui.

Os Pistoleiros no futuro do pretérito.

Posted in musica with tags , , , on 29/08/2008 by transitoriamente

 

Quem me dera conhecer boa parte daquilo que eu tenho vontade. A verdade é que a primeira vez que ouvi Os Pistoleiros, com atenção, foi na semana passada, levado principalmente pelo marketing feito em torno da festa de 2 anos da Contracapa do Diário Catarinense, assinada por Marcos “Mr.Mac” Espíndola e acontecerá amanhã (30.08) na Célula, em Floripa.

 

Conheço o Diógenes, de vista, desde os tempos de Colégio Diocesano, em Lages, quando ele ainda era conhecido como Pincel, tamanha variedade de cores usadas em seu cabelo.

 

Confesso que fiz o mesmo com Pipodélica, na época que eles estavam no auge simplesmente não me interessei e deixei passar. O tempo fez questão de mudar os rumos.

 

Mas isso também é bom, deixar algumas cartas na manga para o futuro, para aquelas épocas de “entre safra” onde pouco ou quase nada é lançado. Não estamos nesse período, pelo menos em SC, mas mesmo assim o presente de Espíndola fez efeito. 

 

Nessas últimas semanas deixei Os Pistoleiros rolar solto por aqui, queria tentar entender qual a razão de tantas pessoas próximas falarem bem do grupo, com certo entusiasmo juvenil.

 

Esses encontros, como foi o do ano passado, quando o Phunky Buddha fez a festa de 1 ano da contracapa, acabam por ser uma união de memórias, quase uma verve do tempo.

 

Xuxu, o Pipodélico, tentou me explicar o som da banda como sendo “um rock lageano” e eu fico aqui comigo achando que entendi.

 

O fato é que a banda faz um som instigante, com letras originais e isso continua a gerar curiosidade. Não me preocupei em achar semelhanças com outras bandas, mas de certa forma encontrei vestígios próximos. Os caras conseguiram imprimir uma cara no trabalho, uma identidade e isso justifica – e com toda razão – esse afeto com a banda e esse deslocamento temporal até o presente.

 

Já ouvi os Pistoleiros no som do Pipodélica e Lenzi Brothers, por exemplo, e eu nem desconfiava disso.

 

São letras extensas e sinceras. Fazem efeito, ainda mais quando essas se tornam quase falas. Experimente falar as letras, é belo e algumas vezes por demais de divertido. O disco é um raro momento do encontro de grandes canções, com paralelo a alguns poucos grandes discos catarinenses mais atuais, tais como Grilo Verde, do Lenzi Brothers e Não Esperem por Nós, do Pipodélica.

 

Na minha memória auditiva Os Pistoleiros existe desde poucas semanas atrás, é uma banda nova para mim em alguns sentidos, ou seja, este será o meu primeiro show. Estou feliz com esta bela oportunidade.

 

Futuro do pretérito.

 

Abraços, Antonio Rossa

 

 

Brasil Papaya completa 15 anos de estrada!

Posted in musica with tags , , , , on 28/08/2008 by transitoriamente

Esta noite será muito especial para a música independente catarinense. O Brasil Papaya, uma das maiores bandas do estado, está completando 15 anos de estrada. Sem dúvidas uma data histórica e muito importante, já que não é tarefa simples completar 1 década e meia de bons serviços prestados.

O quarteto catarinense formado pelos irmãos Renato e Eduardo Pimentel (guitarras), e mais Adriano Baga (baixo) e Alex Paulista (batera), vem há tempos criando misturas inusitadas e as transformando em canções instrumentais repletas de nuances e originalidade. Do Tango ao Rock, do Metal ao Blues, isso talvez dê uma idéia, mas se eu fosse você correria pra ouvir o som dos caras ao vivo hoje a noite (28.08) no TAC – Teatro Álvaro de Carvalho, em Florianópolis, às 21h.

Enquanto isso dê uma passada no Myspace da banda e confira alguns sons.

Parabéns ao Brasil Papaya e que eles tenham ainda muitos e muitos anos de estrada.

Bom som e um abraço, Antonio Rossa

Segunda-Feira-Clipes (com delay): Pitty

Posted in musica with tags , on 26/08/2008 by transitoriamente

A correria não deveria e nem deve ser desculpa, mas a questão é que não consegui postar o Segunda-Feira-Clipes ontem, como deveria ser. Como diz o velho Antonio José Rossa, “o pai”: é só levantar da cama mais cedo! Belo conselho meu velho, começarei a acordar as cinco da matina, tá bom assim?

Aproveito e posto aqui um dos clipes mais bonitos feito nos últimos anos no Brasil. Trata-se de Anacrônico, da cantora baiana Pitty. Belíssima fotografia, vale a pena conferir.

 

Aproveite! Boa semana a todos, Antonio Rossa

Trânsito Musical N.8 com Humberto Gessinger.

Posted in musica, transito musical with tags , , , , , on 25/08/2008 by transitoriamente

 

Gessinger & Nienow

Gessinger & Nienow

O Trânsito Musical chegou a sua oitava edição e desta vez conversei com Humberto Gessinger, líder do Engenheiros do Hawaii, na Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi, em Florianópolis. O fato foi o lançamento de “Meu Pequeno Gremista”, livro onde Gessinger conta algumas histórias suas tendo o Grêmio como pano de fundo. Fábio Nienow interpretou as histórias do “Engenheiro” com belas ilustrações. 

Entre novas composiçôes com Duca Leindecker e o lançamento do livro, Gessinger deu uma pausa na sua fiel banda e montou um duo com o vocalista e guitarrista do Cidadão Quem. O projeto se chama “Pouca Vogal”.

A dupla já tem na agenda o lançamento do novo projeto: dia 17 de outubro, no teatro Bourbon Country em POA. Antes disso o duo lançará um site com as canções inéditas para download livre.

Nesta passagem de Gessinger por Florianópolis, rolou um pocket-show com grandes sucessos (e alguns Lado B) acompanhado no coro por uma platéia numerosa e inspirada.

Foi uma bela noite em Floripa.

Abraços, Antonio Rossa

Atleta Catarinense nas Paraolimpíadas.

Posted in Uncategorized with tags , , on 22/08/2008 by transitoriamente

 

 

Paulo Roberto Homem é o nome do atleta catarinense (de Florianópolis) que estará disputando as Paraolimpíadas de Beijing, na modalidade Goalball. Beto, como é conhecido pelos amigos e familiares, já possui um histórico de vitórias.

 

Começou com a Natação, que lhe rendeu uma primeira colocação na Copa Brasil em 2001. Por motivo de lesão no ombro, passou ao Atletismo onde no ano seguinte venceu a Copa Brasil nos 400m rasos, segundo nos 200m, e terceiro lugar nos 100m rasos.

 

Hoje “Beto” se dedica exclusivamente ao Goalball, onde foi Revelação e artilheiro da Copa Brasil em 2003, seu primeiro ano no esporte. Foi o único catarinense convocado para a seleção brasileira de Goalball.

 

Passou por treinamentos intensivos em João Pessoa, na Paraíba, com toda a seleção convocada. Embarcará na próxima semana para o outro lado do mundo em busca de uma medalha para o Brasil!

 

Boa sorte!

 

Grande abraço, Antonio Rossa