Archive for September, 2009

Refosco fala à Trip sobre Thom Yorke e sua turnê solo

Posted in musica with tags , , , , on 30/09/2009 by transitoriamente

Erase

Tentei inúmeras formas para conseguir uma entrevista “quase-inédita” com Mauro Refosco, o catarinense que irá acompanhar Thom Yorke (Radiohead) em sua carreira-solo. Minha estratégia de, inclusive, enviar e-mails para diversos setores da Revista Trip se revelou um fracasso. Também pudera, Refosco é blogueiro da Trip, e isso já diz muita coisa, não?

Além do percussionista catarinense, o baixista Flea (Red Hot Chili Peppers), o produtor Nigel Godrich e o baterista Joey Waronker, formam a banda que irá tocar The Eraser, o primeiro disco solo de Yorque, lançado em 2006.

Como até o momento não recebi nenhuma resposta, e devo dizer que o mais importante nesse caso é saber mais sobre esse projeto, transcrevo abaixo a entrevista que Refosco concedeu à Guilherme Werneck, do site da Trip.

Minha busca ainda não terminou, porém enquanto isso…

Um abraço, Antonio Rossa

… 

Como o Thom York chegou até você?
O Thom estava a fim de tocar ao vivo o The Eraser. Como o disco tem muita programação com beats bem quebrados, um baterista só não ia conseguir reproduzir tudo, e ele não queria usar samplers. Eu já conhecia o Joey, que é o baterista, e ele me chamou para o grupo.

E vocês estão ensaiando faz tempo?
Há umas duas semanas, aqui em Los Angeles.

Como é trabalhar com o Thom Yorke? Quais os desafios de fazer o Eraser ao vivo?
O Thom é bem tranquilo. Uma coisa interessante em relação ao Eraser é que ele realmente escuta tudo o que é beat de um jeito próprio, que não é muito certo, mas é o que está na cabeça dele. É orgânico para ele.

Você já ouvia Radiohead?
Sim, adoro Ok Computer, ouvi o Amnesiac bastante e vi o show deles no ano passado. Impressionante.

E como o Flea se encaixa nesse projeto?
A gente tem aquela imagem do Red Hot, do slap, do funk, mas ele é um cara supereducado. Toca trumpete também, tem um lance com o jazz, saca super de harmonia. Sabia que ele toca com o Ornette Coleman de vez em quando? Ele é um supermúsico que encaixa bem, não é só um baixista.

Além do Eraser, vão rolar outras coisas?
Vão ter duas músicas novas do Thom York, “Feeling Pulled Apart by Horses” e “The Hollow Earth”. E também “Paperback Writer”.

E o Forro in the Dark, tem novidades?
Sim, vamos lançar o disco novo no dia 13 de outubro. Vai sair por um selo da revista National Geographic. E daí a gente sai em turnê pelos Estados Unidos e pela Europa.

Alguma chance de voltar ao Brasil?
Ainda não tem nada programado

Ludov: Uma reprise que se altera

Posted in musica with tags , , , , on 30/09/2009 by transitoriamente

 

Ludov

Não sei como Ludov me apareceu pela frente, talvez tenha sido algum um blog, não, talvez um portal, um jornal, uma dica, sei lá.

Eu deveria me lembrar, como também não me lembro do instante em a canção me fez algum sentido. Sei, eu poderia ter a escutado, desligado o player, ido tomar uma café e tudo estaria em curso normal, um dia a mais, tudo bem.

Não espero, nem sei lidar com novidades diárias. Gosto do mesmo, daquilo que se arrasta por dias, semanas, até que uma novidade boa vem, e então é sol novamente dentro de mim.

Ludov apareceu, eu não sei como, e “Reprise” caiu bem (assista ao clipe abaixo), datada com charme, uma emoção urbana e fria, solitária, ideal para essa tarde chuvosa que caiu sobre Florianópolis. Penso que isso também se deva a semelhança da charmosa vocalista Vanessa Krongold com a cantora Björk, apesar de seu incomparável charme brasileiro. 

“Caligrafia”, o último disco do quarteto (lançado em julho/2009), pode muito bem significar a conexão que faltava para que o Ludov unisse sua veia alternativa com o misterioso perfume pop, aquele que pode atrair mais olfatos e gente por aí.

Produzido por Fábio Pinczowski (parceiro da banda) em parceria com os “ludovicos” Mauro Motoki e Habacuque Lima, não soa desequilibrado imaginar o motivo que me leva a crer que este disco está mais parecido do que nunca com o próprio Ludov, só que um passo a frente. Um espelho que não mente as rugas, que não esconde aquele sincero mal-estar que deveria permanecer contido, enfim, o explícito não-vulgar.

Não que não haja espaço para você ir “embora” do disco, mas isso eu vejo como mérito em um trabalho longo e sem nenhuma aparente linha que não seja um emaranhado de possíveis influências e muita honestidade.

Não irei comentar faixa-a-faixa, mas “Vinte por cento” e “Luta Livre” trazem uma malícia gostosa, daquelas já maturadas e prontas para o ataque.

Até as misturas modernosas não ultrapassam a linha que transforma bandas em representantes comerciais de seus idolos.

Das 19 faixas gravadas para Caligrafia, 12 estão no disco físico e as 7 restantes você só encontra em formato digital, num bacana passeio pelas multimídias.

No fim das contas Reprise já ganhou seu lugar cativo nas mais belas canções de 2009, pelo menos desse que vos fala. Fiquei feliz, e isso já me diz muito.

Acesse o site do grupo (clique aqui), e saiba como baixar “Caligrafia”, inteirinho, na faixa. Tem muita coisa bacana lá.

Bom som e um abraço, Antonio Rossa

Blog Bem: Qualquer bobagem

Posted in Blogs with tags , , , on 29/09/2009 by transitoriamente

Qualquer bobagem

Mais do que manter um blog na ativa, algo que muito me anima  é descobrir novos blogs, mergulhar naquele mar de informações, conhecer outros mundos, além do lado muito curioso que é ver como as pessoas escolhem suas cestas de informações. Esse compartilhamento é por demais saboroso. 

Quem sabe seja tão simples como escolher tomates, não sei. Hoje parece ser incomum ter tempo, então é bem provável que nós não tenhamos mais tempo para escolher tomates.

Bom, existe alguém que escolherá por (e para) nós.

Há pouco menos de 1 mês conheci o Qualquer Bobagem, da jornalista Juliana Cesar. Não, não, eu não estava procurando tomates.

É interessante ver as escolhas, compartilhar esses achados num mar tão imenso e inalcançável como a internet. É bom avistar essas ilhas de boa informação, chegar próximo e viajar estando perto. No “Qualquer Bobagem” (Clique e conheça), as bobagens são geralmente bem interessantes. Tem música, moda, filmes, curiosidades e, claro, qualquer bobagem.

Fiquei maravilhado com aquelas fotos PB de Karl Lagerfeld, com a modelo Claudia Schiffer para a publicação alemã da Vogue. Coloquei algumas abaixo, pois são verdadeiramente belas e diferenciadas. Sim, talvez melhores do que aqueles tomates que alguém escolheu para você.

Pensando melhor, um blog pode ser alguém que escolhe os tomates para você, e se facilitar pode até levá-los à mesa.

Estão servidos?

Antonio Rossa

628_09_221343950030950581

628_02_8956758156404328201

628_03_18561771753586130571

John Mayer na Ilha fria…

Posted in Uncategorized on 29/09/2009 by transitoriamente

 away

Hoje Floripa estava mais Londres do que para San Diego. Vento frio, dia cinza e bastante roupa para aqueles que se arriscaram a enfrentar o vento nas ruas.

Dia bom para escrever, beber um chá, compor canções ou simplesmente ficar mais leve. Hoje eu resolvi escrever canções, enquanto o resto da gripe já parece estar dando seu adeus. Novos projetos precisam do meu gás e da minha saúde, então é bom olhar para dentro de si e se cuidar.

No som, John Mayer. Na xícara, Melissa. No coração, Marcela.

Abaixo você assiste à bela Gravity, direto do lendário Abbey Road. Baita som.

Bom som e um abraço, Antonio Rossa

Músicos catarinenses com Papa Winnie

Posted in musica with tags , , , , on 29/09/2009 by transitoriamente

Mauricio Alves

O lendário cantor de reggae Papa Winnie estará no Brasil a partir do início do próximo mês para uma turnê nacional, e dessa vez contará com uma banda de apoio catarinense para realizar uma série de shows em solo brasileiro.

Conversei com o baterista Maurício Alves (na foto), que também estará na banda, e por e-mail ele contou um pouco dessa estória.

Transitoriamente: Como surgiu o convite para tocar com Papa Winnie nessa Tour Brasileira?

Maurício Alves: O convite foi feito pelo produtor e guitarrista de Florianópolis, Ricardo Medeiros, que foi contatado pela organizadora da tour, a empresa Campeche Eventos, aqui de Florianópolis também. Eu e Ricardo tocamos juntos em vários outros projetos, também de sucesso, como a dupla Rony & Ravel e a dupla Eddy e Viny, de sertanejo universitário, e também tocamos juntos em 2006 com a cantora Débora Blando. Ricardo ano passado tocou também com outro grande nome do reggae, o cantor Carlton Coffie. Desse trabalho surgiu o convite para que trabalhássemos na tour brasileira do Papa Winnie.

TM: Haverá ensaios? Quais as datas dessa Tour e por onde ela passará?

MA: Os ensaios começaram com o estudo do repertorio enviado pelo próprio Papa Winnie. A banda está ensaiando sem o artista já faz algum tempo, e os ensaios finais com ele ocorrerão ainda essa semana. É importante ressaltar que toda a banda que tocará com Papa Winnie é de músicos catarinenses. Sou eu tocando bateria, Ricardo Medeiros na guitarra e produção musical, André Reis no baixo, Charles Lima nos teclados e Ju Premdari nos backing vocals.

A tour do Papa Winnie pelo Brasil passará pelas seguintes cidades em outubro: 02.10 Curitiba/PR, 03.10 Canoinhas/SC, 09.10 Brusque/SC, 10.10 Vitória/ES, 12.10 Tubarão/SC (Produsul) e 17.10 Florianópolis/SC (Fenaostra). Existem mais algumas datas que estão ainda para serem confirmadas pela Campeche Eventos, em outros estados do país, e que muito em breve deverão ser divulgadas.

TM: Quais os planos futuros do baterista Maurício Alves?

MA: Viver sempre o momento presente, pois simplesmente não sou mais nenhum plano futuro. Hoje finalmente sei que isso é algo que simplesmente não existe. E por uma simples questão de sintonia, escolho sempre trabalhar somente com pessoas verdadeiras, transparentes e totalmente honestas consigo mesmas e com os outros. Independentemente da cultura musical, hoje sei que a boa música surge de pessoas que vivem na coragem e na verdade de serem elas mesmas, e não personagens. Dessa forma, como músico, meu planejamento é no agora; no caso, contribuindo artística e musicalmente da melhor forma possível nesta importante tour com um grande e verdadeiro ícone do reggae, o Papa Winnie.

O fim da era do macho

Posted in Uncategorized with tags , , , on 28/09/2009 by transitoriamente

 0,,21846843,00

Alguns posts atrás eu comentei sobre a hipocrisia e o uso deliberado de conotações sexuais quando se faz necessário contrariar ou agredir a reputação de alguém.

Alguns dias depois, o Governador do Estado do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, chamou o Ministro Carlos Minc, do Meio Ambiente, de “veado fumador de maconha”. Pois é, a repercussão foi nacional e o tom do discurso muito aquém daquilo que nós verdadeiramente precisamos ouvir, ainda mais em se tratando de figuras públicas e diante de um tema tão delicado: O MEIO-AMBIENTE.

O que eu quero mesmo com este post é recomendar a vocês leitores uma matéria muito interessante (e da ordem do dia) intitulada O FIM DA ERA DO MACHO, que foi publicada na edição N.31 (Setembro/2009) da Revista Época Negócios.

Resumidamente, o jovem autor Reiham Salam demonstra que os setores mais afetados pela crise econômica vêm sendo aqueles com predominância masculina (construção, mercado financeiro, indústria). Esses setores entraram em queda mais acentuada do que os “femininos” (saúde, educação, serviços sociais e setor público).

O autor ainda cita um exemplo interessante no campo político: “Quando a economia da Îslândia foi ao chão, os eleitores trataram de se livrar de sua elite econômica masculina e escolheram como primeira-ministra Johanna Sigurdardottir, a primeira líder do mundo declaradamente lésbica”.

No texto Salam também mostra a maneira como a recessão vem sendo chamada na blogosfera: He-cession, uma brincadeira com a palavra inglesa Recession.

Não acredito ser simples prever como as novas relações serão construídas mundo afora, pois ainda é preciso compreender que mesmo com a Globalização ainda existem muros separando culturas,  realidade e inovação. 

Onde ocorrerão as rupturas (DNA vs SOCIEDADE)? O mundo verdadeiramente se revelará plano? Temos bases realmente sólidas e disponíveis para detectar semelhanças diante de cenários tão caóticos e mutantes? As tecnologias conseguirão equalizar os séculos de dogmatismos? 

As mudanças estão ocorrendo, sim, talvez mais rápidas do que a gente pode perceber e analisar. Por outro lado existem os séculos de história e DNA. Ficar por dentro disso talvez não seja mais do que a nossa obrigação, pois nenhuma ferramenta será o bastante para entender claramente o mundo onde todos terão uma opinião guardada para amanhã.

Será então a vez de um Governo Mundial? Google e Facebook já parecem ser alguns dos candidatos.

Antonio Rossa

Segunda-Feira-Clipes: Keb´mo

Posted in musica with tags , , , on 28/09/2009 by transitoriamente

keb-mo-6-big

Como a ideia é começar a semana com muito otimismo e alegria, vou sugerir um blues para fazer o contraponto delicioso das extremidades. Nada de agridoce, quero caramelo e pimenta.

Um ótima semana a todos ao som de Keb´mo e a bela “Every Morning”

Antonio Rossa