Archive for December, 2010

Mentes em Trânsito. 2010-11

Posted in Curiosidades, musica with tags , , , , , , , , on 22/12/2010 by transitoriamente

Olá pessoal,

O Ano de 2010 foi intenso, desafiador e de muitas conquistas para a Transitoriamente.

Acreditar que podemos “comunicar a nossa arte” é um dos nossos maiores estímulos. É também o que nos leva a trabalhar com extrema dedicação, buscando sempre “fazer cada vez melhor”.

Mais um ciclo se encerra e o perfume do novo já começa a ser sentido. Por 365 dias viajamos ao redor do mestre Sol e agora chegamos ao “fim-início” dessa jornada.

Considero 2010 um ano de trabalhos e acontecimentos importantes, que ajudarão a contar um pedaço da história da nossa música e da nossa arte.

Muito obrigado a todos que compartilharam esse projeto durante esse ano.

Um abraço e felicidades,

Antonio Rossa – Transitoriamente

HOLINESS

 

 

Logo no início de 2010 lançamos o videoclipe de “Into The Light”, da banda gaúcha Holiness.

Foi um trabalho literalmente fantástico, gravado na antiga casa do ex-governador Hercílio Luz. Um lugar mágico e cheio de mistérios.

Só para vocês terem uma noção, para conseguirmos a casa foram cerca de 4 meses de negociações, isto é, estar lá gravando um clipe foi para nós um imenso orgulho e uma vitória.

No final desse ano tivemos a honra de estrear esse trabalho na “grande avenida” dos videoclipes brasileiros: o Top10 MTV.

Pela primeira vez na história um clipe catarinense alcançou esse posto.

É importantíssimo lembrar que a casa continua abandonada e hoje se encontra como um ponto para usuários de drogas em pleno centro da capital catarinense.

Este espaço merece uma restauração criteriosa. É a nossa história que está em jogo.

INFALLIBUS

O material fotográfico realizado para a banda Hangar estampou o Infallibus, o ônibus do quinteto heavy-metal liderado pelo baterista Aquiles Priester e que rodou grande parte do Brasil numa super turnê.

SAMBURÁ

No mês de abril fomos até Itajaí, aqui em SC, gravar o DVD do grupo instrumental Samburá. Aliás, como é bom registrar momentos especiais.

O show do Samburá foi um desses momentos que inevitavelmente precisariam de um registro. Foi o que nós fizemos.

SOCIEDADE SOUL

Em maio lançamos um novo videoclipe.

Acompanhei a banda Sociedade Soul por 6 meses e desse material surgiu o clipe da divertida canção, e que também dá nome ao grupo, “Sociedade Soul”.

Gravar em ambientes “não-controlados”  é sempre instigante.

Bons momentos e muito balanço.

LUCIANO BILU

O guitarrista Luciano Bilu foi fotografado no centro de Florianópolis, por conta do seu novo disco “Zeus és Tu”.

NOVO SINGLE “AS RUAS”

Logo no final das mixagens do Nuvem (EP lançado em 2009), surgiu “As Ruas”, canção que acabei gravando no início de 2010.

“As Ruas” estará no próximo EP que pretendo lançar no primeiro semestre de 2011.

NICOLE OBELE

Em plena Copa do Mundo na África – enquanto o Brasil deixava a competição – a equipe Transitoriamente gravava (no Canto da Lagoa) o videoclipe da canção Kal Mè, da cantora camaronesa Nicole Obele.

Um vídeo delicado e nostálgico, que levou o nosso trabalho para uma nova dimensão de imagens. Mais um trabalho que nos encheu de orgulho.

FELIPE COELHO

Felipe Coelho & Sexteto se apresenatram no TAC, em Floripa, no mês de setembro. A Transitoriamente esteve lá para registrar o espetáculo, aliás, música de altíssimo nível.

“NUVEM” NO AÇÃO SONORA

A canção O que ficou no coração foi uma das escolhidas para a coletânea Ação Sonora – Grande Florianópolis, um projeto idealizado pela Micróbrio GravaSons e que ainda contemplará as outras regiões de SC. Belíssima iniciativa.

BELUGA 10 ANOS

A Transitoriamente foi a responsável pelo design gráfico e fotografia da coletânea Beluga 10 Anos.

A ideia central era criar um design simples que pudesse conversar tranquilamente com todos os estilos contidos no selo, sem apontar para algum específico, mas ao mesmo tempo mostrar toda a riqueza e a particularidade desses estilos.

A coletânea estará disponível antes do natal num caprichado Digipack duplo.

WEBSITE OFICIAL

O website oficial da Transitoriamente estará no ar na primeira semana de 2011. Lá vocês poderão conferir parte dos trabalhos realizados ao longo dos últimos 4 anos.

A ideia do site foi justamente reunir num único local esses trabalhos.

BLOG TRANSITORIAMENTE – 250.000 ACESSOS

Fechamos o terceiro ano de blog com mais de 250.000 acessos. É bastante gratificante saber que o nosso conteúdo tem chegado a muitas pessoas e em diversos lugares.

Vamos continuar trabalhando mais e mais nesse próximo ano.

2011

Já iniciaremos o novo ano com bastante trabalho.

Em fevereiro teremos a gravação do DVD Brasil Papaya 18 anos e também do projeto de Silvio Mansani e André Mehmari.

Objetividade em troca de subjetividades tolas

Posted in Curiosidades with tags , , , , on 15/12/2010 by transitoriamente

Tenho ficado cada vez mais horrorizado com aqueles testes no site de relacionamentos Facebook chamados “Quiz”.

Qual filme você é? Que doença você morrerá?

Dia desses resolvi entrar nessa e ver o que ocorria, afinal de contas eu precisava saber a minha doença futura. Conta outra, vai!

As perguntas são incrivelmente bem moldadas para você deixar lá preciosas (e objetivas)  informações que irão alimentar excelentes cruzamentos de dados que voltarão para você em forma de propagandas cada vez mais diretas e precisas.

Não tenho nada contra “Pesquisas”, inclusive estudei Administração na universidade, e esse tema era objeto de estudos. O ponto aqui é em relação à forma e a omissão de objetivos.

Por exemplo: Quando alguém lhe irrita você:

a) Diz tudo bem, isso passa.

b) Você enche de porrada e manda pra $%$#@

c) Compra algo para ficar mais tranquilo

Eu não irei discorrer aqui sobre a filosofia do “Quiz do Facebook”, apenas quero alertar você a não dar suas informações de forma tão objetiva em troca de um punhado de subjetividades duvidosas e de um humor bastante questionável.

Está preocupado? Vá a um laboratório e faça um hemograma, será provavelmente mais preciso.

Que tal ligarmos o sinal de alerta?

Um abraço,

Antonio Rossa

Aquiles Priester lança biografia

Posted in musica with tags , , , , , , , , on 13/12/2010 by transitoriamente

A mídia está repleta de vendedores de produtos e sonhos duvidosos, com belos rostos, design arrojados, porém funcionalidades nem sempre satisfatórias.

Na música e na arte não é diferente, muitos ainda acreditam que uma bela roupa já é suficiente, e que ao “vestirem-se” de artistas o caminho já estará em parte trilhado. Ledo engano, é preciso muito mais do que souveniers e bons perfumes.

Aquiles Priester é um dos maiores bateristas do mundo, um talento extraordinário e um fato em si mesmo. Ponto!

Independentemente de gostos pessoais, o talento é algo que paira acima dessas particularidades, mostra-se, faz-se, concretiza-se.

Engana-se quem pensa que uma varinha mágica transforma pessoas em gênios do seu ofício. Trabalho, muito trabalho, tempo e dedicação são apenas alguns dos ingredientes para se alcançar a excelência.

Na biografia “De Fã à Ídolo” Aquiles relata parte do seu caminho para alcançar seus ideais, suas dificuldades em constraste com suas convicções.

Um livro fundamental, que não apenas desvenda mitos do sucesso como deixará qualquer pessoa ciente de que não existe resultados de graça.

Num mundo imediatista, a “biografia do Polvo” certamente lhe dará algumas preciosas dicas.

Boa leitura.

Antonio Rossa

ENTREVISTA (Especial para o blog Transitoriamente)

TM – Hoje vivemos num mundo imediatista, um verdadeiro contraste com sua história, que ainda é de perseverança e muita dedicação ao seu ofício, e que levou tempo para maturar e gerar frutos. Existem atalhos para o sucesso?

Aquiles Priester: Não consigo ver as coisas desse jeito. Eu nunca fiz e nunca faço as coisas pelo sucesso ou pelo retorno que elas podem me dar. Prefiro sempre acreditar no trabalho como um todo, como algo em que eu realmente confie e o que vier de retorno será real e duradouro.
Desde o início da minha carreira, sempre pratiquei para melhorar minha performance e ter orgulho do meu trabalho como músico. Tenho muito prazer em ficar horas e horas repetindo os detalhes na bateria para pode me apresentar bem. Muitas vezes gostaria de ter mais tempo para praticar mais, mas a vida continua e passa muito rápido. Preciso sair do palco com a missão cumprida. O pequeno sinal de insatisfação com o meu trabalho não me faz bem e quero sempre ter certeza que estou fazendo o meu melhor.

TM – Nas partes mais velozes de uma música, quando a suas pernas e braços já se dividiram em infinitas partes (risos), o que passa pela sua cabeça? Você consegue ver aquilo em “câmera lenta”? Como é?

Aquiles: Ahahahaha, não! Consigo ouvir muito bem o que estou tocando… Na minha monitoração, tanto no meu “side” como no meu fone de ouvido só escuto minha bateria e isso me faz muito crítico a tudo que toco. Preciso dar uma base sólida para meus companheiros de banda ou para quem estiver tocando comigo. Nas partes rápidas só quero soar como uma máquina e qualquer deslize ou nota mais fraca fica bem evidente na minha monitoração.

TM – É natural que as pessoas achem que você só ouve metal ou similares. No “Infallible”, que realmente foi um disco extremamente ousado do ponto de vista estético, essa ideia em termos se desfez. Quem lhe conhece sabe que para você a música está acima de estilos. Em sua opinião, os fãs do metal estão atualmente mais abertos para estilos  diversos?

Aquiles: Com certeza! Música feita para ser apreciada, e acho que todo mundo gosta de música boa. Hoje em dia a galera se mistura e os estilos estão cada vez mais disseminados… Sou da época em que não existiam tantos estilos…

TM- E essa estória do Dream Theater? Estão dizendo por aí que você seria um provável candidato ao posto do Portnoy. Isso procede?

Aquiles: O que posso dizer é que estou curtindo muito tudo disso. Nunca imaginei que as pessoas me achariam capaz de entrar no Dream Theater… Com certeza isso é muito bom para minha carreira e isso é tudo que posso falar no momento.

Têm outras coisas boas acontecendo ao mesmo tempo, meu DVD The Infallible Reason of my Freak Drumming, será lançado no mundo tudo por uma empresa americana chamada Mel Bay Publications, e eles darão ênfase no mercado dos EUA. Em janeiro vou para a Namm Show (EUA) acompanhar o lançamento e participar do evento “Paiste Day” junto com o Elóy Casagrande, no Musicians Institute de Los Angeles.

Fora isso, saiu uma entrevista minha na Modern Drummer americana e isso repercutiu muito bem para minha carreira, pois essa é a maior vitrine da bateria mundial, ou seja, tudo está indo muito bem! Tem também minha biografia que está sendo um sucesso, pois as pessoas se identificam com a história por saber que não nasci numa família de músicos e que nunca as coisas foram fáceis para mim.

TM – Como você avalia a “Infallible Tour 2010”?

Aquiles: Já temos uma boa ideia de como tudo funciona agora depois de oito meses de trabalho com essa estrutura surreal que estamos levando para os shows. Em muitos lugares por onde passamos as pessoas dizem que o show do Hangar foi a maior estrutura que já viram e isso é uma resposta fantástica para a gente. Ainda vamos longe com essa tour. A ideia e seguir até o final de 2011, porém já estamos escrevendo músicas novas sempre que temos tempo para isso.

A banda amadureceu muito e estamos numa fase muito boa. Fora o show elétrico, temos também o nosso show acústico que nos possibilita tocar numa infinidade de lugares que não comportam a estrutura do nosso show elétrico.

TM – Em termos de sonoridade, qual será o próximo passo do Hangar?

Aquiles: Tenho medo de prever algo. Geralmente vamos seguindo nossa vontade. A única coisa que posso garantir, e que já é tradição no Hangar, é que não vamos nos repetir. Isso é mais do que certo!!! E ainda precisamos gravar um DVD da The Infallible Tour!

Visitem: www.hangar.mus.br e www.aquilespriester.com

Holiness e Transitoriamente no Top10 MTV!

Posted in musica with tags , , , , , , , on 08/12/2010 by transitoriamente

O dia de hoje, 08.12.10, marca uma grande vitória para a Transitoriamente, para a banda Holiness e para a música independente de SC e RS.

Pela primeira vez na história uma produção catarinense de videoclipe alcança o Top10 MTV,  o maior termômetro nacional desse segmento.

Só posso agradecer a todos que ao longo desses últimos 4 anos vem trabalhando e apoiando a nossa música e toda a cadeia produtiva.

Essa vitória é nossa!!!

Um grande abraço,

Antonio Rossa

A Rede Social: Todos os filmes falam de amor

Posted in cinema with tags , , , , , , , , , on 06/12/2010 by transitoriamente

Todos os filmes falam de amor.

O longa A Rede Social (The Social Networking) estreiou há poucas semanas nos cinemas brasileiros e fala sobre a criação do Facebook e seu mentor, o nerd-todo-poderoso Mark Zuckerberg.

Calma, eu não irei contar o filme aqui como muitos críticos fazem.

Espera aí, você não tem Facebook?

Não, nem todos os filmes falam de amor.

Um rapaz que não possui amigos (talvez um, talvez mais) torna-se o mais popular empreendedor do ramo de mídias sociais.

Verdade, nem todos os filmes falam de amor, mas os bons falam de desejo.

O filme, dirigido por David Fincher (Clube da Luta), faz jus às críticas positivas que vem sendo submetido mundo afora. Deixarei de lado aquelas críticas que dizem que o roteiro não corresponde totalmente à verdade. Bom, eu realmente não esperava um documentário.

A sagacidade (e isso permeia o filme) do personagem de Zuckerberg está explícita na velocidade das falas, na edição e nos fragmentos temporais, além da excelente atuação do ator Jesse Eisenberg, como o próprio empresário. O cantor Justin Timberlake também merece aplausos por sua atuação como Sean Parker, o extravagante criador do Napster.

Uma direção equilibrada e precisa, para mim credenciais fundamentais do Gran Cinema de Fincher.

É fato, nem todos os filmes falam de amor, mas os bons falam de desejo e… Vaidade. Um certeiro caminho para a inveja.

Esqueça a matemática, os algoritmos complexos, a vida gira em torno do amor, da busca pelo prazer, das vaidades, dos desejos e, sim, da inveja.

Mesmo aquele gênio detentor de altas doses de conhecimento focará seu desejo no desejo do outro, e aí não tem jeito, pega-se inveja como se fosse um resfriado. Mas isso pode estar em qualquer filme, não?

Toda certeza é caótica, de certa forma excludente e autoritária. “A Rede Social” é um filme que explora ao invés de sexo, drogas e rock´n´roll, uma tríade de hedonismo, vaidades e alta inteligência, tudo isso regado a cervejas e muita programação.

No fim das contas “A Rede Social”  talvez desmistifique um pouco a ideia do herói, dando ao mundo uma versão menos fantasiosa do que seja  a inteligência, seus meios e seus fins, isso sem falar no juízo de valores, que ficará por sua conta.

Por si só isso não excluirá os louros da criação de uma ferramenta que mudou e vem mudando o mundo, além do belo filme criado, e das inevitáveis discrepâncias entre a vida virtual e a vida real.

Antonio Rossa

Califaliza: Uma pausa e uma corrida

Posted in musica with tags , , , , , , on 05/12/2010 by transitoriamente

A banda catarinense Califaliza acabou de colocar na rede o seu primeiro videoclipe, do single “Só o começo”.

O material contou com a direção de Gustavo Dogo e Breno Turnes, e traz a banda num cenário simples e envoltos em projeções filmados pela própria banda.

Tal simplicidade casou muito bem com a proposta do quarteto, que era a de mostrar a banda em ação, sem enfeites declarados, e ao mesmo tempo não perder os detalhes e o acabamento que um audiovisual bem feito pode oferecer.

Vale ressaltar a imponência do single, que sustentou pegada, melodia e boa qualidade de gravação.

O Califaliza trabalhou em silêncio no último ano e agora está mostrando os resultados dessa “incubação” criativa. O grupo prepara também o lançamento do seu primeiro EP, que já está finalizado.

Abaixo você confere uma entrevista com a banda, exclusiva para o Transitoriamente, e o videoclipe.

Bom som e um abraço,

Antonio Rossa

TM: O primeiro EP já tem data de lançamento? Como foi o processo de gravação desse trabalho?

Califaliza: O EP será lançado em janeiro de 2011, com 06 faixas. O processo de gravação foi rápido, já que estávamos com as músicas prontas e cada integrante sabia o que fazer. Optamos por fazer a gravação no home studio do Daniel Zolten, que é um cara envolvido com o cenário underground de Florianópolis há bastante tempo. Não queríamos que as músicas soassem muito produzidas, pois ficaria artificial, o que não combina com a gente. Utilizamos bateria acústica e buscamos timbres mais orgânicos nas guitarras e baixo. Conseguimos, assim, uma sonoridade mais visceral e direta.

TM: É verdade que vocês passaram por um período de “incubação”? Como funcionou isso?

Califaliza: É verdade, ficamos um ano afastado dos palcos. Percebemos que a banda não evoluía, só que ao invés de culpar casas de show, público, etc… A gente resolveu focar em nós mesmos a mudança. Resolvemos, então, sair de cena e se tornar uma banda de verdade. Começamos a usar como referência não só bandas underground locais, mas clássicos como Black Sabbath e Ramones. Um fato que ajudou a definir a identidade da banda foram as bandas novas que se destacaram nesse período, pois o som das paradas de sucesso era exatamente o que não queríamos. Foi uma época meio tensa, já que a gente tava ávido por fazer show. Mas no fim valeu a pena e estamos descarregando toda essa energia agora!

TM: Por que uma banda deveria gravar um clipe? Qual a ideia por trás do clipe “Só o começo”?

Califaliza: Exposição. Permite que pessoas que não assistiram a banda ao vivo vejam o seu caráter e proposta, é uma forma de expressão que vai além do que a mera filmagem de um show ao vivo. A ideia do videoclipe de SÓ O COMEÇO é fazer a performance da banda gritar na tela. Queríamos conciliar uma produção em alta definição com imagens distorcidas e não tão obvias. Foi determinante para conseguirmos isso a forma como os diretores Gustavo Dogo e Breno entenderam a postura da banda, incorporando a nossa pegada punk em todas as fases da produção.

TM: Como o Califaliza pretende se sustentar no cenário musical?

Califaliza: Formando público. Este é o único caminho. Queremos criar uma base sólida aqui em Santa Catarina, pois ao contrário do que muitos dizem, aqui há espaço para o rock, só falta ser ocupado de forma mais freqüente e com mais qualidade. Sustentabilidade envolve não ficar esperando as coisas acontecerem com a banda, mas fazer elas acontecerem. Por tal motivo, lançamos o novo myspace, depois o clipe e ainda estão por vir o EP e site oficial da banda. É preciso criatividade, ir atrás de casas de show diferentes, ter um material de qualidade e trabalhar com apoios de verdade, para que o público faça questão de pagar pelo trabalho, e não só dê uma ajuda por caridade.

Qual é o seu passatempo favorito?

Posted in Curiosidades on 04/12/2010 by transitoriamente

Para além do ser, a vida de uma pessoa é marcada pelo trabalho que ela realiza e pela maneira com que ela passa o seu próprio tempo.

Um dos meus passatempos favoritos é desenhar veículos, poder imaginar formas, conceitos e nomes.

Será que um dia, ao invés de comprarmos carros prontos, poderemos criar os nossos próprios? E estes serão tão limpos e baratos, que ao invés de tê-los, apenas os usaremos em comunidade. Utopia?

Isso não deixa de ser um exercício para os trabalhos que eu realizo e que precisam de boas doses de imaginação.

Aliás, qual é o seu passatempo favorito? Ele tem alguma ligação com o seu trabalho?

Um abraço,

Antonio Rossa