Archive for July, 2011

Zago@TAC

Posted in musica with tags , , , , , , , on 31/07/2011 by transitoriamente

Como reproduzir a personalidade de alguém em uma fotografia?

Não nego a existência de “pilotos automáticos” em qualquer profissão, porém a utilização ou não desses artifícios terão influências marcantes no resultado de seu ofício.

O auto-conhecimento não parece lá tarefa muito simples, então o que dizer à respeito do conhecer outra pessoa? A fotografia guarda esse encanto do ” tentar achar”, encontrar nuances que na velocidade da “câmera-vida-real” passam desapercebidas.

Minha grande meta nos ensaios fotográficos é captar um certo “espírito” onde o próprio fotografado se surpreenda com aquilo que ele vê. Ele se reconhece ali, sim, apesar de sentir que existe uma certa distância onírica nessa “nova realidade” fotografada. Isso me encanta e me faz querer continuar.

Não é tarefa fácil, porém essa dificuldade acaba sendo a força-motriz do meu trabalho. É importante não se deixar abalar pelas frustrações da “foto sem sal”, já que elas frequentemente aparecem. Aliás, a boa foto é quase sempre exceção.

LUIZ GUSTAVO ZAGO 

Luiz Gustavo Zago (ouça aqui) é um pianista talentoso, jovem e reconhecido. A sua personalidade, nesse trabalho, precisava estar registrada nas imagens, da mesma maneira que a sua música está registrada na mente dos apreciadores da boa música.

Para este trabalho juntei-me ao estudante de cinema e iluminador Felipe Tonin.

Já vi o TAC (Teatro Álvaro de Carvalho) das mais diversas formas, e acredito que de muitas outras ainda o verei.

Um belo dia, imagens, sons e vida.

Antonio Rossa

Tendências 2012-2013. O futuro dirá!

Posted in Curiosidades with tags , , , , , , , , , on 29/07/2011 by transitoriamente

O mundo gira e então o futuro se apresenta em novos comportamentos, formas e cores, gerando uma linha invisível que se une ao passado criando um novo tempo.

Imagine que existem infinitas possibilidades a sua frente, e que ao mesmo tempo essas infinitas possibilidades vão tendendo para determinados pontos. Vontades coletivas e subconscientes, uma espécie de campo magnético criado pela soma de todas as forças que movem o “espírito do nosso tempo”. 

Temos então uma tendência a…

Esses três vídeos abaixo, da conceituada agência de tendências WGSN, mostram o que vem pela frente em termos de vestuário, estilo, design e varejo para o outono e inverno 2012-2013.

Pelo fato do mundo então olhar mais para a África, quem sabe as pessoas se tornem menos complacentes diante da miséria, seja ela da escassez ou do excesso.

O futuro dirá!

Antonio Rossa

 

Foo Fighters e sua escola de sucesso

Posted in musica with tags , , , , , , , on 28/07/2011 by transitoriamente

Por mais que se fale e se analise a ideia de preconceito, é quase comum esbarrarmos em análises superficiais diante de muitas coisas que estão ao nosso redor. De fato, é praticamente impossível nos aprofundarmos em toda e qualquer coisa que nos é oferecido, pelo menos não com nosso Q.I médio.

Quero dizer que quando olhamos para uma bela jovem modelo ou um rock-star, um empresário bem-sucedido ou um ator de renome, é comum julgarmos aquilo baseado em algumas poucas premissas. 

Ah! Ele é feliz! – Nossa, que sucesso! – Que sorte desses rapazes!

Olhar a ponta do iceberg é o normal, o quanto estamos dispostos a ir mais a fundo é uma possibilidade. Se vamos ou não, cada um com suas decisões.

Assistindo ao indispensável Back and Forth, o recém-lançado documentário (o filme estreou nos cinemas em abril nos EUA) sobre a banda norte-americana Foo Fighters, é possível fazer um bela reflexão à respeito da real condição de uma grande banda, seus caminhos e seus percalços.

Aliás, é importante entender que mesmo depois de consagrado como baterista de uma das maiores bandas do planeta (leia-se Nirvana), Dave Grohl à época do início do FF não teve tapetes vermelhos e garantias de consagração a seus pés. Creio ser esse o ponto-chave do filme.

A partir dessa constatação e de uma fita demo gravada sozinho pelo próprio Grohl há 16 anos, é possível iniciar essa viagem pelo documentário dirigido por James Moll (premiado com um Oscar pelo documentário The Last Days – 1998 ).

Um material indispensável (com filme + 35min de extras) não apenas para músicos, mas para aqueles que acreditam que a perseverança precisa dar as cartas em qualquer empreendimento de qualquer natureza. Imagine então em relação à própria vida.

Antonio Rossa

Obs.: Vale lembrar que o DVD está com um preço bem bacana em diversas lojas e sites. 

Jean Mafra dançando no bonde

Posted in musica with tags , , , , , , , , , , on 27/07/2011 by transitoriamente

A “sem-vergonhice” deveria ser condição padrão para o exercício da arte!

Quando profiro tal expressão não me refiro a nenhum descalabro moral. Rebolado meu povo, jogo de cintura, nem que seja mental.

Jean Mafra quase sempre reiterou minha fé na continuidade do processo artístico, seja na dureza do dia-a-dia, seja na gozada da pós-alegria.

Ex-vocalista da Samambaia Sound Club, Mafra juntou-se a Ulysses Dutra (ex-Phunky Buddah, ex-Coletivo Operante) na guitarra; Cisso Fernando Bordignon (ex-Maltines e atualmente no projeto eletrônico Muniques) no baixo e sintetizador e Marcill Estevão (também Ex-Maltines e atual Muniques) na bateria; e então surgiu o BONDE VERTIGEM.

Não conheço, nunca ouvi, mas guardo lá minhas boas expectativas.

Esperto que é, Mafra inteligentemente sacou (há um bom tempo) aquilo que atualmente as maiores agências especializadas em tendências dizem a respeito do futuro próximo, isto é, a celebração da cultura e do espírito africano  nos mais diversos meios da cultura.

Segundo Release: “A proposta do grupo é a celebração e o groove, aplicados em um ritmo denominado “Tropical Beats”: um recorte de referencias que compartilham a música eletrônica aplicada em batidas provenientes da África e da América Latina. A banda relê algumas das canções gravadas por Mafra em trabalhos anteriores e preparam outras, novas, a serem lançadas no segundo semestre 2011″.

Bom som e um abraço,

Antonio Rossa

Além da banda de Jean Mafra, a Célula abrirá espaço para a participação de Emília Carmona, André FM e DJ sets de Isaac Varzim, Allen Rosa e os Muniques. Garanta seu ingresso antecipado na loja Varal, localizada no Centro de Florianópolis.

Informações adicionais

Data: 29 de julho

Horário: a partir das 23:00

Local: Célula – Rod. João Paulo, 75 / Bairro João Paulo, Florianópolis

Ingressos: R$ 15,00 antecipado (Loja Varal) / R$ 20,00 na hora

Eli Heil em “Óvulos de ELi”

Posted in O livro nosso de cada dia. with tags , , , , , , , , on 26/07/2011 by transitoriamente


Parece notório, mas nem sempre é: Toda arte merece uma contemplação acima das rápidas análises que tentam as confundi-las com meros produtos de uma vitrine de Shopping.

Corremos sempre o grande risco de olharmos para a arte com o mesmo descuido que escolhemos entre uma capa de celular verde ou amarela.

Produtos embalados possuem “garantias de satisfação”, arte não! Não se sabe onde vai dar, nem de onde vem, nem pra onde vai.

Ao abrir o livro ‘Óvulos de Eli” – organizado por Kátia Klock e Vanessa Schultz – tive a grata sensação de poder medir o indimensionável, como num gesto onde as minhas próprias mãos se distanciam no espaço e então conseguem comunicar o tamanho da idéia do meu coração, e que então não mais fica preso às suas canônicas medidas.

Adicione ao livro um belo média-metragem de 48 minutos, com depoimentos de críticos, artistas e familiares da artista.

Contemplar a genial obra de Eli Heil é não sucumbir aos meros maniqueísmos das vontades passageiras modernas e das medidas convencionais. Nem sim, nem não, algo por entre.

Num Olimpo imaginário, Eli dança com os grandes, e dali em diante não se tem notícias claras, a não ser sensações que desafiam nossos “comuns” sentidos.

Para que respostas?

Sua obra é exponencial, pulsante, algo que se locomove no tempo e no espaço da mesma forma que os faz parar numa dimensão de intensa e inteira contemplação.

Cores que excitam, olhos que enxergam novas lógicas.

Com o livro e o Doc,  temos em nossas mãos um registro histórico, indispensável e fundamental.

Antonio Rossa

LIVRO

Óvulos de Eli: a expulsão de seres de Eli Heil

Kátia Klock, Vanessa Schultz, organizadoras

Florianópolis: Contraponto, 2011. 2ª ed. 120p.

A publicação apresenta o trabalho de Eli Heil, sua história e seu Museu O Mundo Ovo, através de uma seleção com reproduções das obras e de textos jornalísticos e críticos.

Patrocínio Lei Municipal de Incentivo à Cultura, apoio da Fundação Cultural Franklin Cascaes e da Unimed Grande Florianópolis.

DOCUMENTÁRIOS EM DVD

Coração de Eli 

(de Kátia Klock, SC, 2011, 48min, livre)

Uma artista que “vomita criações”, dá vida a milhares de seres que pinta, desenha e esculpe através de técnicas inusitadas. Seus sentimentos revestem-se em cor, forma e verso. E a dor (ou sua ausência) é seu combustível. Críticos, artistas e familiares compartilham suas impressões sobre Eli Heil.

Patrocínio  Lei Rouanet, Fundação Cultural Badesc, BRDE e Duas Rodas

Realização • Ministério da Cultura e Contraponto

EXTRAS

Eli Heil, criadora e criatura

(de Kátia Klock, SC, 2010, 14min)

Eli por Eli. A artista recita, pinta e apresenta o Museu Mundo Ovo, com suas 3 mil obras.

Curta realizado para a série “SC em Cena”, da RBSTV (SC).

O Mundo Ovo de Eli Heil

(de Marco Aurélio Ramos e Maria Emília de Azevedo, SC, 1986, 33min)

Um registro realizado há 25 anos sobre o processo criativo e a obra da artista. Eli Heil fala de suas angústias, relembra sua iniciação artística e declama seus poemas.

Silvio Mansani e Outras Pessoas

Posted in musica with tags , , , , , , , , , on 21/07/2011 by transitoriamente

Trabalhar com arte, para mim, é uma possibilidade de experimentar outras dimensões da vida. Vida que não deixa de ser vida comum, cotidiana, porém com temperos bem colocados, aromas novos em pratos corriqueiros.

Meus mais recentes trabalhos foram  e estão envolvidos com a música erudita e a MPB. É saboroso transitar pela música em seus mais diversos cardápios.

SILVIO MANSANI e OUTRAS PESSOAS

Silvio Mansani, André Mehmari, Luiz Gustavo Zago e o Quinteto Catarinense de Cordas realizaram aquele que, na minha opinião, trata-se de uma verdadeira pérola da música brasileira, o EP Virtual “Outras Pessoas”.

Conceitual, profundo e diverso, uma obra musical que muito provavelmente encantará ouvidos e corações atentos à boa arte.

Dirigi, filmei e editei o vídeo-release, além de ter feito as fotos e a arte do site e blog do projeto.

Música que vale a pena.

Antonio Rossa

Hugo Rafael vence o Jovens Talentos 2011, do SBT

Posted in musica with tags , , , , , , , , , , on 10/07/2011 by transitoriamente

Uma das coisas boas da vida é apostarmos em algo que lá na frente se revela verdade, um acerto.

Mais do que um exercício de previsão, ou algo do gênero, é como se olhássemos no Homem hoje uma de suas reais e inevitáveis possibilidades futuras, da mesma maneira que uma semente de maçã será uma macieira e novamente uma semente e assim por diante.

O blog Transitoriamente, certa vez, há alguns anos, encantou-se com um (na época) quarteto chamado Fast Food Brazil.

Garotos espertos, músicos de primeira linha, composições sofisticadas, mas que quase sempre esbararram numa certa preguiça por parte dos ouvintes, que normalmente tendem a pegar os atalhos da arte.

Da mesma maneira que uma macieira é a maçã e é também a semente, o talento cedo ou tarde há de germinar, ou simplesmente ser reconhecido. Tudo a seu tempo.

Bom, o nosso amigo Hugo Rafael (vocalista da FFB) venceu nesse último final de semana o Jovens Talentos (SBT) apresentado pelo célebre Raul Gil.

Vitória justa, mais do que justa, comprovada ali no palco.  A prova de que o talento encontra seu espaço.

Hugo chegou literalmente aos 45 minutos do segundo-tempo. Prestes a estourar o limite de idade do programa (25 anos), e entrando no lugar de outro candidato. O caminho parecia trilhado. E deu certo. E tem tudo para ir ainda mais longe.

Abaixo você confere uma entrevista exclusiva com Hugo Rafael para o blog.

Um abraço,

Antonio Rossa

Antonio Rossa – Das guitarras distorcidas da Fast Food Brazil para uma espécie de “New Crooner”. A vitória no Jovens Talentos – Raul Gil (SBT) foi unânime e justa. Como você avalia essa experiência?

Hugo Rafael – A Fast Food Brazil sempre foi a maior academia de música e caráter para mim. Desde quando éramos cinco, quatro e agora três. Participar e super felizmente ganhar o Jovens Talentos foi como passar um filmezinho louco na cabeça: A extensão do aprendizado adquirido dentro da FFB (trabalho autoral), misturado com as várias outras experiências fora, como cantor de bares e bailes por aí cantando covers, por mais de 10 anos…

AR – Hugo Rafael agora é também mainstream?

HR – Pela primeira vez na televisão…Como o SBT mesmo diz! hahahah

AR – O prêmio do programa é um CD e DVD pela Sony Music. Você já tem ao menos uma noção de qual direção tomará seu repertório, a questão artística propriamente dita?

HR – Tive uma primeira reunião com o produtor do disco, Raul Gil Jr, e já pensamos em algumas possibilidades de mercado. Posso dizer que de repente estou entusiasmado com a idéia de lançar um disco principalmente focado no pop. Simples assim.

AR – Os projetos até então em andamento, FFB, disco-solo, permanecem?

HR – Esse álbum seria como um segundo da minha trajetória solo, ressaltando que muita gente ainda precisa ouvir o Raph Zero (http://www.myspace.com/hugorafael). A FFB lança material novo em breve, assim que os meus compromissos com a Sony derem uma folga.

AR – Uma idéia para o futuro…

HR – Quero os pés no chão, energia para a próxima fase, sabedoria e muita fé para conquistar os objetivos!