Archive for rock

Espassia em dois teasers

Posted in musica with tags , , , , , , , , , on 11/09/2012 by transitoriamente

Demorei mais de uma década para colocar algumas de minhas composições em um disco. Acho que desde que eu peguei pela primeira vez um violão nas mãos havia um plano que ficava martelando meus sonhos. Eu precisava registrar algumas dessas canções.

Em 2009 lancei NUVEM, um EP com cinco canções. Durante o processo de gravação, apesar de não ser uma verdade evidente, algo me dizia que eu faria esse trabalho e o sonho estaria realizado e ponto final. Não foi assim. Meses depois voltei ao estúdio The Magic Place para gravar o single “As Ruas”, em parte para matar aquela larica danada, em parte para simplesmente manter a coisa viva e pulsante.

Alguns meses se passaram e as novas canções foram surgindo. Elas sempre nascem sem pretensões ou sentidos, eu apenas preciso jogá-las para fora e faço isso com um tom quase religioso. Quem sabe isso seja o meu esporte preferido, talvez a única dança que eu realmente posso dizer que sei dançar de alguma forma.

Muitas vezes acho que estou compondo para ninguém, porém esse “ninguém” vai ganhando rostos e alguns sorrisos sinceros, e em outros momentos acabo encontrando algumas pessoas cantando as canções de cabo a rabo (e até mesmo o disco), e isso cria uma certa motivação extra que me faz sair do casulo da minha auto-satisfação.

Tudo bem, inicialmente não tenho muita saída, a canção precisa antes de tudo me agradar e me fazer o mínimo de sentido. Mas depois eu quero ar, quero que elas voem. Provavelmente a minha única pretensão real na vida seja com a música, o resto, bom o resto vamos seguindo na maior leveza possível.

Pois bem, não quero me estender demais ou mais. Um novo EP está a caminho e dois teasers das gravações já estão na rede.

Mais uma vez venho acompanhado da banda Sociedade Soul e de novos convidados. Em relação aos “novos convidados” , futuramente eu farei um post especial sobre eles.

Muito provavalmente “Espassia” será lançado em novembro desse ano.

Um abraço,

Antonio Rossa

Advertisements

Transitoriamente em “Clássicos com Energia”

Posted in musica with tags , , , , , , , , on 12/06/2012 by transitoriamente

Todos aqueles que trabalham ou são aprecidores da música de alguma forma conhecem a célebre mistura de uma banda acompanhada por uma orquestra, uma camerata ou até mesmo um “simples” naipe de violino, cello e contrabaixo.

O projeto “Clássicos com Energia” tem algumas particularidades em relação a esse clássico formato.

Regido e concebido pelo Maestro Jeferson Della Rocca, temos então a Camerata Florianópolis acompanhada pela banda Brasil Papaya, tocando clássicos de Beethoven, Mozart, Vivaldi entre outros grandes nomes.

A própria Camerata Florianópolis já havia tocado com o Brasil Papaya no bem-sucedido “Rock’n’Camerata”. E como o nome bem diz foram tocados clássicos do rock nessas ocasiões. Dessa vez foram invertidos os papéis criando-se uma nova roupagem.

Com patrocínio das empresas Baesa e Enercan, a produção audiovisual ficou a cargo da Transitoriamente, e contou com a minha direção. Trabalho desafiador, cheio de nuances, mas muito gratificante.

Foram nada menos do que 16 músicas em cerca de 15 horas de gravação. Trabalho que somente uma equipe muito competente seria capaz de dar conta. E deu!

Gravado no belo e aconchegante “Baobah Estúdios de Autocriação”, o espectador poderá viajar junto, como se estivesse muito próximo aos músicos. Em certos momentos terá até mesmo a sensação de estar no mesmo lugar do maestro.

Mais uma vez ficou claro que os clássicos nunca se esgotam.

Ficam aqui os meus agradecimentos a todos que participaram direta ou indiretamente desse projeto.

Bom som e um abraço,

Antonio Rossa

 

Foo Fighters e sua escola de sucesso

Posted in musica with tags , , , , , , , on 28/07/2011 by transitoriamente

Por mais que se fale e se analise a ideia de preconceito, é quase comum esbarrarmos em análises superficiais diante de muitas coisas que estão ao nosso redor. De fato, é praticamente impossível nos aprofundarmos em toda e qualquer coisa que nos é oferecido, pelo menos não com nosso Q.I médio.

Quero dizer que quando olhamos para uma bela jovem modelo ou um rock-star, um empresário bem-sucedido ou um ator de renome, é comum julgarmos aquilo baseado em algumas poucas premissas. 

Ah! Ele é feliz! – Nossa, que sucesso! – Que sorte desses rapazes!

Olhar a ponta do iceberg é o normal, o quanto estamos dispostos a ir mais a fundo é uma possibilidade. Se vamos ou não, cada um com suas decisões.

Assistindo ao indispensável Back and Forth, o recém-lançado documentário (o filme estreou nos cinemas em abril nos EUA) sobre a banda norte-americana Foo Fighters, é possível fazer um bela reflexão à respeito da real condição de uma grande banda, seus caminhos e seus percalços.

Aliás, é importante entender que mesmo depois de consagrado como baterista de uma das maiores bandas do planeta (leia-se Nirvana), Dave Grohl à época do início do FF não teve tapetes vermelhos e garantias de consagração a seus pés. Creio ser esse o ponto-chave do filme.

A partir dessa constatação e de uma fita demo gravada sozinho pelo próprio Grohl há 16 anos, é possível iniciar essa viagem pelo documentário dirigido por James Moll (premiado com um Oscar pelo documentário The Last Days – 1998 ).

Um material indispensável (com filme + 35min de extras) não apenas para músicos, mas para aqueles que acreditam que a perseverança precisa dar as cartas em qualquer empreendimento de qualquer natureza. Imagine então em relação à própria vida.

Antonio Rossa

Obs.: Vale lembrar que o DVD está com um preço bem bacana em diversas lojas e sites. 

Holiness e Transitoriamente no Top10 MTV!

Posted in musica with tags , , , , , , , on 08/12/2010 by transitoriamente

O dia de hoje, 08.12.10, marca uma grande vitória para a Transitoriamente, para a banda Holiness e para a música independente de SC e RS.

Pela primeira vez na história uma produção catarinense de videoclipe alcança o Top10 MTV,  o maior termômetro nacional desse segmento.

Só posso agradecer a todos que ao longo desses últimos 4 anos vem trabalhando e apoiando a nossa música e toda a cadeia produtiva.

Essa vitória é nossa!!!

Um grande abraço,

Antonio Rossa

A Camerata e o rock´n´roll!

Posted in musica with tags , , , , , , on 25/11/2010 by transitoriamente

A banda catarinense Brasil Papaya está iniciando os trabalhos de comemoração dos seus 18 anos.

Ontem tive o imenso prazer de fotografar os irmãos Pimentel (Renato e Eduardo) em ação com a Camerata Florianópolis, na segunda noite do espetáculo Rock´n Camerata, que tem a regência do maestro Jeferson Della Rocca, e que ainda contou com os arranjos do pianista Alberto Heller, com o baixista Carlos Ribeiro Junior, o baterista Rodrigo Paiva e as vozes de Carla Domingues, Rodrigo ” Gnomo” Matos, Daniel Galvão e Jack Moa.

Imagine músicas do Kiss, Iron Maiden, Rita Lee, Stones, Beatles, Led, entre outros, com uma banda e uma Camerata. Um deleite sonoro em alto grau.

O Teatro Pedro Ivo estava simplesmente lotado e o público, formado por gente de todas as idades, foi um espetáculo à parte. De arrepiar os pelos e a alma.

 

Ao longo dos próximos meses a Transitoriamente trará novidades em relação à comemoração dos 18 anos do Brasil Papaya, essa histórica banda que leva o rock´n´roll e a música instrumental a altos vôos.

Muniques lança EP

Posted in musica with tags , , on 30/08/2010 by transitoriamente

Pensar uma canção meramente pela canção sempre me pareceu algo incompleto. Preciso do contexto, da capa, da foto, do clipe, do bairro, da entrevista, das sobras, do release para traçar uma significância daquilo pra mim.

Claro, continuo pensando que a música permeia todos esses detalhes, mas certos acessórios ajudam a contar uma história, e isso é fundamental na minha visão: Histórias.

Estou sempre atento aos lançamentos da música catarinense. Realmente me interessa aquilo que está sendo produzido perto do quintal da minha casa.

Neste último final de semana ouvi o EP do Muniques, grupo formado pelos ex-Maltines Cisso, Marcill e Dani, mais Leo Irvine.

Na minha opinião não existe estilo óbvio, existem momentos óbvios de se utilizar estilos.

O eletro-rock (ou synth rock), como o nome sugere, traz misturas de eletrônico e rock e é uma das vertentes responsáveis pela adesão de muitos roqueiros ao mundo das batidas eletrônicas.  Não se trata de um estilo novo, porém ainda é capaz de proporcionar instigantes novas sonoridades mundo afora.

The Prodigy, Gorillaz, TV on the Radio e Cansei de Ser Sexy são alguns dos top-charts do estilo.

Numa primeira audição Muniques não me pareceu trazer nada de realmente novo (apesar da alcunha eletro-pop), levando em consideração a predominância do estilo no mainstream da moda e a tendência deste meio a inovar, mesmo que algumas vezes pra lugar nenhum.

No meio da sopa das rádios figuraria possivelmente como “mais do mesmo” e isso não é necessariamente um ponto negativo, já que a proposta do grupo é essa mesma: tocar nas rádios e baladas fashion.

Arrisco-me a dizer que para esse cardápio algumas das canções do Muniques podem vir a funcionar, já que a produção musical está à altura de coisas boas do gênero.

“Tonight The Disco” tem potencial, com um refrão grudento e uma boa pegada. Gostei da voz e da interpretação de Leo Irvine.

As demais canções oscilam entre alguns bons momentos pontuais e calmarias sem tanta expressão.

Quem pretende fazer um sopão de estilos necessariamente precisa entender o risco que corre.

Você conhece aquela frase que diz: “quem quer estar sempre na moda corre o risco de estar sempre fora dela”!?

Antonio Rossa

Obs.: Deixe seus comentários abaixo

Luciano Bilu entre os tempos

Posted in fotografia, musica with tags , , , , , , on 23/08/2010 by transitoriamente

Gosto do sabor imprevisível da arte, suas nuances momentâneas e seus movimentos particulares.

É como se houvesse um pêndulo multi-direcional fazendo o tempo correr (ou parar), diferentemente da “lógica-relógio”.

Não que eu acredite que tudo deva ser improvisado, porém alguns pontos fundamentalmente precisam de uma certa dose de improviso para funcionar.

Claro, depois que os equipamentos estão checados e as condições positivas, é hora de deixar as coisas acontecerem sem tanta necessidade de GPS´s.

Há alguns meses fiz um ensaio fotográfico para o guitarrista catarinense Luciano Bilu (@LucianoBilu) e que seria utilizado (e posteriormente foi) no seu novo disco “Zeus és Tu”.

Desde o princípio gostei dessa ideia de desmistificar o poder humano e divino a partir das responsabilidades de cada pessoa. É mais fácil culpar Deus por nossos fracassos, ao mesmo tempo que damos demasiada importância para os sucessos pessoais e materiais. Esquecemos facilmente dessa teia que nos une de maneira inevitável e sem fronteiras perceptíveis.

Bilu e eu conversamos sobre suas ideias a fim de acharmos alguma representação para esse conceito. Veio-me a sugestão de utilizarmos construções semelhantes à arquitetura greco-romana, mas ao mesmo tempo emprestando a ela um ar contemporâneo, das interações e misturas estéticas ao redor do local ao visual do guitarrista.

Você verá uma porta de ferro, vigas trabalhadas pelo tempo, uma jaqueta usual-moderna e um poste cheio de fios elétricos, o que de fato se parece com a “vida real-real”, e não com aquela cheia de desenhos ideais. É Florianópolis, mas poderia ser qualquer esquina de qualquer lugar.

Poderíamos ter representado Bilu com roupas da época, o que não seria difícil e que poderia ficar muito legal, sim, mas queríamos abrir mais esse leque em direção à personalidade e ao dia-dia do músico.

Acabou prevalecendo a proposta dessa mistura clássica e moderna, o passado da arquitetura com a  modernidade de um all-star, e tudo mais que essas fotos puderem dizer entre e extra isso.

Simples, como a vida deveria ser.

Um abraço, Antonio Rossa