Archive for sociedade

Espassia em dois teasers

Posted in musica with tags , , , , , , , , , on 11/09/2012 by transitoriamente

Demorei mais de uma década para colocar algumas de minhas composições em um disco. Acho que desde que eu peguei pela primeira vez um violão nas mãos havia um plano que ficava martelando meus sonhos. Eu precisava registrar algumas dessas canções.

Em 2009 lancei NUVEM, um EP com cinco canções. Durante o processo de gravação, apesar de não ser uma verdade evidente, algo me dizia que eu faria esse trabalho e o sonho estaria realizado e ponto final. Não foi assim. Meses depois voltei ao estúdio The Magic Place para gravar o single “As Ruas”, em parte para matar aquela larica danada, em parte para simplesmente manter a coisa viva e pulsante.

Alguns meses se passaram e as novas canções foram surgindo. Elas sempre nascem sem pretensões ou sentidos, eu apenas preciso jogá-las para fora e faço isso com um tom quase religioso. Quem sabe isso seja o meu esporte preferido, talvez a única dança que eu realmente posso dizer que sei dançar de alguma forma.

Muitas vezes acho que estou compondo para ninguém, porém esse “ninguém” vai ganhando rostos e alguns sorrisos sinceros, e em outros momentos acabo encontrando algumas pessoas cantando as canções de cabo a rabo (e até mesmo o disco), e isso cria uma certa motivação extra que me faz sair do casulo da minha auto-satisfação.

Tudo bem, inicialmente não tenho muita saída, a canção precisa antes de tudo me agradar e me fazer o mínimo de sentido. Mas depois eu quero ar, quero que elas voem. Provavelmente a minha única pretensão real na vida seja com a música, o resto, bom o resto vamos seguindo na maior leveza possível.

Pois bem, não quero me estender demais ou mais. Um novo EP está a caminho e dois teasers das gravações já estão na rede.

Mais uma vez venho acompanhado da banda Sociedade Soul e de novos convidados. Em relação aos “novos convidados” , futuramente eu farei um post especial sobre eles.

Muito provavalmente “Espassia” será lançado em novembro desse ano.

Um abraço,

Antonio Rossa

Advertisements

DCE UFSC, Sociedade Soul e uma celebração da cultura

Posted in musica with tags , , , , on 05/11/2010 by transitoriamente

Estamos no CSE da Universidade Federal de Santa Catarina, é uma quinta-feira a noite. Faz um clima muito agradável e pelo menos mil pessoas movimentam-se próximo ao palco onde a banda catarinense Sociedade Soul estará em alguns minutos.

O público ainda está disperso, porém há uma áurea no ar dizendo que a noite promete.

Gabriel Portela, do DCE, já aqueceu o público com um cardápio certeiro de boas músicas. O cicerone sabe muito bem que o quarteto funk/soul mais famoso de Santa Catarina está ávido para mais uma vez tocar nos ares da UFSC, local que inegavelmente já é um ponto central de arte e cultura em Florianópolis, fato este bastante incentivado pelas mais recentes gestões do DCE.

Antes mesmo do show começar já conversei com pelo menos uma dúzia e meia de pessoas. A multiculturalidade é plena, há punks, metaleiros, descolados, patricinhas e hippies. Tem muito mais gente, até os ditos normais.

É fato observar que estamos num verdadeiro ambiente democrático sem as alcunhas intimidadoras de certas casas noturnas.

Pense bem, é um local aberto, aparentemente vulnerável a ações de violência, mas o que se vê é tranquilidade e respeito imperando como se ali um espírito maior desse as cartas.

Ajeite a câmera! A Sociedade Soul já está no palco e a movimentação do público indica que junto ao primeiros acordes o balanço fará as honras da noite.

Impecáveis, certeiros, uma banda de alto nível capaz de levantar públicos em diversos locais desse grande Brasil. Comprovado.

Não lembro de ter visto em Florianópolis, pelo menos entre bandas independentes, uma integração espontânea entre público e banda com tamanha sintonia.

Quem estava lá sabe bem o que eu estou falando.

A arte e a cultura de Florianópolis encontraram na UFSC um espaço capaz de alimentar parte do apetite cultural da juventude. Também não é de hoje que existem pessoas tentando proibir festas no Campus, o que num primeiro momento mais parece um retrocesso do que um avanço.

Esse assunto eu ainda pretendo discutir melhor.

Foi uma noite para guardar na memória… E no coração.

Antonio Rossa